Margarida Marques


Margarida Marques nasceu em Barcelos. Licenciou-se em ensino de Português e Inglês, na Universidade do Minho, em 1994, tendo optado pelo grupo 330 para prossecução da sua carreira profissional. Lecionou em várias escolas do litoral e há quinze anos passou a desenvolver o seu trabalho no Agrupamento de Escolas Miguel Torga, sendo atualmente a Coordenadora Erasmus+ do Agrupamento.

Sempre se interessou pela internacionalização da atividade profissional, tendo frequentado vários cursos de formação, na sua área de lecionação, em diversas cidades do Reino Unido e da República da Irlanda, desde 1999. No ano de 2000, iniciou a sua participação em projetos internacionais, com uma escola da Finlândia. Também tem vindo a participar em projetos de eTwinning e tem organizado visitas de estudo ao Reino Unido.

Em 2011 e 2012 participou em 2 Visitas Preparatórias, na Hungria e em Espanha, para elaboração de 2 projetos Comenius Parcerias Multilaterais European Youth (2012-2014) e DROPS (2013-2015), no âmbito do Programa Aprendizagem ao Longo da Vida, financiados pela Comunidade Europeia e desenvolvidos no Agrupamento de Escolas. Desde 2014 coordena os projetos Erasmus+ Ação Chave 2, Super Leitor Europeu (2014-2016) e Think Smart - Act Green (2015-2017), e Ação Chave 1 TESS (2015-2017).

 

Até à data, além da formação a nível internacional, participou, individualmente ou acompanhada por alunos, em encontros e reuniões internacionais que decorreram em vários países e em 2 Missões de Ensino de uma semana na Hungria e na República Checa. 

 

APRESENTAÇÃO   

 

Resumo da comunicação

"SER – Super European Reader (Super Leitor Europeu)"

 

O projeto Super Leitor Europeu trata-se de um projeto Erasmus+, KA2, que foi desenvolvido ao longo de dois anos e que envolveu sete escolas de cinco países: Espanha, Itália, Polónia, Portugal (AEMT) e Reino Unido.

Tal como o nome indica é um projeto que visa acima de tudo desenvolver a literacia na leitura em língua estrangeira e em língua materna, melhorar as competências de comunicação para facilitar a mobilidade no mercado de trabalho europeu e favorecer o desenvolvimento de competências comunicativas, cívicas e sociais.

A ideia surgiu da análise dos resultados do teste PISA OCDE 2012 e do ESLC 2012 (Inquérito Europeu sobre Competências Linguísticas) e também das linhas orientadoras do programa Europa 2020 (Crescimento e Emprego). Verificou-se que a maioria dos países participantes neste projeto apresenta resultados na média ou abaixo da média no que diz respeito à literacia na leitura e um nível baixo nas competências em línguas estrangeiras, sendo que neste inquérito somente 42% dos participantes apresentou um nível B1/B2 (utilizador independente) essencial para a comunicação a nível internacional e para ingressar no mercado de trabalho.

O projeto teve início no ano letivo de 2014/2015 e desenvolveram-se as seguintes atividades: reuniões transnacionais de projeto, apresentação aos alunos alvo (10º ano) e à comunidade em geral, desenvolvimento de atividades de leitura através do kit de leitura SER - produto intelectual criado pela parceria, que contém orientações para as aulas de L1 e L2 dirigidas a alunos e professores no âmbito da compreensão da leitura, da leitura expressiva e da leitura rápida, grelhas e parâmetros de avaliação, vídeos de motivação, apresentações PPT e Prezi e o regulamento SER - torneios de leitura a nível de escola, torneio de leitura em Inglaterra, atividades de avaliação e disseminação. Decorreu nas aulas de português e de inglês.

Da preparação para os torneios fizeram parte atividades de compreensão de leitura, leitura expressiva e leitura rápida para a língua materna e compreensão de leitura e leitura rápida (Speed Reading) para a língua estrangeira. Os 12 vencedores dos torneios a nível de escola participaram num torneio europeu em Inglaterra onde participaram mais 78 alunos, num total de 90, vindos das escolas participantes. O melhor leitor ganhou o prémio de Super Leitor Europeu.

 

A participação neste projeto permitiu, não só atingir os objetivos definidos inicialmente, mas ainda a estadia numa escola inglesa, a visita à mesma, a observação de aulas e o consequente convívio com os seus alunos, a participação no dia aberto da escola, onde foi possível participar em atividades dinamizadas por professores ingleses, a participação em visitas culturais à região de York e a Cambridge, a leitura partilhada em grupos multinacionais de preparação para o torneio, a participação no torneio, o estreitamento de laços entre os participantes, um enorme desenvolvimento da capacidade de comunicação em língua inglesa, o contacto com alunos e professores de outras escolas europeias e com outros costumes e tradições e a atribuição do Europass Mobilidade (documento que certifica as competências adquiridas durante uma mobilidade a um país europeu).