Elsa Escobar

Elsa Carina da Silva Escobar é professora do quadro do Agrupamento de Escolas Macedo de Cavaleiros. Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas – Inglês e Alemão pela Faculdade de Letra Universidade do Coimbra e mestre em Literatura Inglesa pela Universidade de Aveiro, é atualmente doutoranda em Estudos Americanos na Universidade de Coimbra.

 

Formadora acreditada em diversas áreas: Inglês, Literaturas (Inglês) e Didáticas Específicas (Inglês), tem frequentado diversos cursos de formação, quer em Portugal, quer no estrangeiro. Para além disso, é coordenadora de projetos no AVEMC, onde já desenvolveu um projeto Comenius Multiparcerias (Mens Sana in Corpore Sano), dois projetos Erasmus+ (LIFE – Learning Is Fun Europe – KA2 e LIDER – Línguas: Inovar, Desenvolver, Envolver, Renovar – KA1) e alguns projetos eTwinning.

 

APRESENTAÇÃO   

 

Resumo da comunicação

"Peças de um puzzle"

 

“O trabalho colaborativo estrutura-se essencialmente como um processo de trabalho articulado e pensado em conjunto, que permite alcançar melhor os resultados visados”

M. Roldão

 

Um dos objectivos principais da aprendizagem colaborativa (ou cooperativa) é levar os alunos a partilhar objectivos, superar desafios e, assim, aprender juntos.

A Extensa literatura sobre esta temática demonstra que as estruturas de aprendizagem colaborativas contribuem para:

·         Reduzir as diferenças académicas entre os/as discentes;

·         Aumentar a equidade educacional;

·         Promover o sucesso educativo;

·         Melhorar as relações entre alunos de diferentes etnias;

·         Substituir a discriminação por compreensão e empatia.

 A aprendizagem colaborativa promove uma gestão de conflitos mais construtiva do que esforços individualistas ou competitivos. Para além disso, promove o raciocínio lógico e o pensamento crítico, uma produção de novas ideias mais profusa, melhor rendimento escolar e uma melhor retenção de conhecimentos. 

As vantagens do trabalho colaborativo estão relacionadas não só com a aprendizagem individual, mas também com o desenvolvimento de competências sociais, pois o trabalho em grupo fomenta o respeito pela diferença, bem como a capacidade de ouvir e negociar com o outro, promovendo, concomitantemente, valores democráticos.

No entanto, não raras vezes, os/as alunos/as não sabem ou não gostam, pelos mais diversos motivos, de trabalhar em grupo, pelo que compete ao/à docente utilizar estratégias motivadoras para incentivar o trabalho colaborativo.

Nesta comunicação, pretende-se, pois, partilhar com os participantes, estratégias de trabalho implementadas em sala de aula e que visam promover o trabalho colaborativo.

De cariz eminentemente prático, esta sessão centrar-se-á em técnicas de formação de grupos, cujo objetivo é fomentar aulas dinâmicas, em que os discentes têm oportunidade de trabalhar com diferentes colegas. Deste modo, promove-se as relações interpessoais, garantindo concomitantemente, um enriquecimento dos alunos, quer em termos de conhecimentos, quer em termos humanos.

 

Para além das técnicas de formação de grupos, falar-se-á dos papéis que cada discente deve desempenhar durante a realização da(s) tarefa(s) proposta(s) pelo docente. Esta atribuição de papéis tem como escopo uma participação equitativa e ativa de todos os membros dos grupos, e os discentes têm sido unânimes em considerar que estas estratégias de trabalho fomentam um efetivo trabalho de grupo.