Sofia Carvalho

 

 

APRESENTAÇÃO   

 

Resumo da comunicação

"Projeto PéAtivo: promoção da deslocação ativa, atividade lúdico-motora, saúde e bem-estar em crianças do pré-escolar"

Catarina Vasques1; Pedro Magalhães1; Sofia Carvalho2; Élia Cordeiro3

1Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação

UCC, Centro de saúde de Bragança, ULSNE

Jardim-de-Infância de Santiago, Agrupamento de Escolas Emídio Garcia

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Atualmente as crianças passam grande parte do seu tempo livre em atividades sedentárias que, aliadas a uma alimentação hipercalórica e a baixos níveis de atividade física (AF), têm contribuído para os elevados índices de obesidade infantil e para o aumento do risco precoce de doenças como a hipertensão, diabetes mellitus do tipo 2, hipercolesterolemia e a resistência à insulina. Portugal, na última década, tem evidenciado uma das maiores percentagens de crianças obesas da Europa. Assim sendo, é urgente inverter esta tendência através da implementação de hábitos e estratégias de promoção da prática regular de AF nas crianças desde tenra idade.

A criação de oportunidades/motivação/encorajamento para a prática de exercício físico, logo na primeira infância, oferecem maiores oportunidades para promover o desenvolvimento neuromotor, permitindo também o desenvolvimento das habilidades motoras fundamentais.

Neste sentido, o presente projeto terá como objetivos: (1) proporcionar a deslocação ativa para o jardim-de-infância; (2) ocupar o tempo não letivo, com atividades lúdico-motoras; (3) sensibilizar as crianças e encarregados de educação para os benefícios da prática regular de AF e de uma alimentação saudável; (4) estudar os efeitos do programa de intervenção nos níveis de AF habitual, na redução de comportamentos sedentários, no aporte calórico, no equilíbrio e função cognitiva das crianças.

Implicações teóricas e práticas: a amostra será constituída por 39 crianças com idades entre os 4-5 anos. Será aplicado um programa de intervenção com deslocações ativas para a escola (2 dias/semana); atividades lúdico motoras (1 dia/semana); sessões de aconselhamento e acompanhamento geral de saúde (1 dia/mês). Serão estudadas variáveis antropométricas, níveis de AF habitual, comportamentos sedentários, valor calórico dos lanches da manhã/tarde, equilíbrio estático/dinâmico e função cognitiva.

Conclusão: É esperado que no final desta intervenção as crianças apresentem níveis superiores de AF habitual, menos comportamentos sedentários e uma alimentação mais saudável.

 

 

Palavras-chave: Programa de intervenção; pré-escolar; deslocação ativa; estilos de vida