Mª Conceição de Castro

Maria da Conceição de Castro é licenciada em Professores do Ensino Básico – Variante de Matemática e Ciências da Natureza pela Escola Superior de Educação de Bragança, desde 1997, Pós-Graduada em Administração e Gestão Escolar, área de Formação Especializada – Administração Escolar e Administração Educacional pela Escola Superior de Educação Jean Piaget de Nordeste, desde 2004, e Mestre em Educação e Gestão Escolar pela Escola Superior de Educação Jean Piaget de Nordeste, desde 2011.

Exerce funções no Agrupamento de Escolas Emídio Garcia - Escola Básica Paulo Quintela, como professora do quadro de escola no grupo 230 (Matemática/Ciências Naturais) desde 2006. É atualmente Coordenadora do Departamento de Matemática e Ciências da Natureza, Coordenadora da Secção Disciplinar de Matemática/Ciências Naturais do 2.º ciclo e membro da Secção de Formação e Monitorização do CFAEBN. Cooperou e coopera como orientadora de estágios nas áreas de Análise de Contextos Profissionais (Licenciatura em Educação Social); Iniciação á Prática Profissional I e II e na Prática de Ensino Supervisionada do Mestrado do 1.º e do 2.º Ciclo do Ensino Básico com o Instituto Piaget e Escola Superior de Educação de Bragança. Como Formadora nas áreas e domínios B01 (Administração Educacional) e C05 (Didáticas Específicas – Matemática) desde 2013, tem apresentado algumas comunicações/sessões de formação no âmbito das metas curriculares de Matemática do 2.º ciclo.

 

APRESENTAÇÃO    

 

Resumo da comunicação

PROJETO: “SEMENTES DE LEITURA/SEMENTES DE VIDA”

 

Palavras-chave

Literacia; Dinâmicas de Colaboração; Identidade de Agrupamento; Comunidade Educativa

 

O projeto “Sementes de Leitura/Sementes de Vida”, foi implementado, pela primeira vez, na Escola Paulo Quintela, no ano letivo 2015-16, tendo como fio condutor a progressão da Literacia da Leitura, das Ciências e da Matemática.

No sentido de criar uma dinâmica, otimizaram-se  vários recursos humanos e materiais existentes na escola, proporcionando atividades, dentro e fora do contexto da sala de aula, que visaram a melhoria do bem-estar físico e psicológico dos nossos alunos e, consequentemente, das suas aprendizagens e resultados escolares.

O desenvolvimento deste projeto pautou-se pela realização de ações pedagógicas diversas que aumentaram a articulação entre Professores do 2.º Ciclo, ao nível do Português, das Ciências e da Matemática, em parceria permanente com a Biblioteca Escolar, a “Sala de Artes e Leituras” e os diversos Clubes (atividades de complemento curricular).

Outra grande motivação para o desenvolvimento deste projeto prendeu-se com a necessidade de promover, de igual forma, a articulação entre os vários Ciclos de Ensino, criando, na Comunidade Educativa, uma identidade de Agrupamento de Escolas mais forte e sustentada.

As atividades de parceria com outras instituições foram também uma mais-valia na implementação do projeto e, por conseguinte, um grande contributo para as vivências e partilhas tão ricas, quanto relevantes na aquisição e consolidação de aprendizagens.

 Este projeto visa, em conformidade com o ‘II Encontro de Boas Práticas Educativas’, “potenciar o trabalho colaborativo continuado na promoção da qualidade e sucesso educativo, implicando alunos, docentes e parceiros na mesma causa”.

 

OBJETIVOS

·         Desenvolver competências leitoras a partir de atividades diversificadas;

·         Reforçar a comunicação intergeracional;

·         Motivar a comunidade (educativa e local) para atividades relacionadas com o livro, a leitura e o poder das plantas;

·         Promover o desenvolvimento da literacia científica dos alunos através de atividades experimentais;

·         Valorizar o sentido de pertença ao Agrupamento de Escolas;

·         Promover a articulação interdisciplinar e entre a escola e outras entidades locais;

 

METODOLOGIA/ATIVIDADES

·      Ao longo do ano, nas aulas de Português, foram trabalhadas diversas obras literárias e, simultaneamente, na “Sala de Artes e Leituras” e na Biblioteca Escolar, foi dada continuidade à aquisição/consolidação de aprendizagens em termos teóricos e práticos, através da dinamização de atividades lúdicas. De desatacar que a frequência da “Sala de Artes e Leituras” era de carácter facultativo;

·      Os alunos do 2.º Ciclo responsabilizaram-se pela dinamização de atividades diversas para apresentação aos alunos do Pré-Escolar e do 1.º Ciclo das Escolas do Agrupamento, bem como das Universidades Sénior de Bragança e Vinhais, sob a orientação da professora responsável pela “Sala de Artes e Leituras”;

·      Partilha de atividades noutras Escolas, com alunos de outros ciclos;

·      Responsabilização dos alunos do 2.º Ciclo no acompanhamento dos alunos mais novos, facilitando a sua integração no novo ambiente escolar;

·      Aprendizagem de diversos conteúdos das Ciências em contextos informais;

·      Realização de sementeiras em diversos contextos;

·      Visitas de estudo;

·      Criação do dia da “Escola Aberta” orientado para alunos do 1.º Ciclo;

 

·      Desenvolvimento de atividades em parceria com outras entidades com o envolvimento de todos os alunos da escola.