Margarida Mariz

 

Margarida Maria Júlio Ferrand de Almeida Mariz

 

 

 

Nascida em Santarém a 4 de Junho de 1960.

 

Docente do grupo 200 (HGP e Português) no Agrupamento de Escolas de Carrazeda de Ansiães.

 

Iniciou a docência no ano letivo 1983/84.

 

Licenciatura em História pela Universidade de Letras do Porto (1983)

 

Pós graduação do Mestrado em História e Problemas Atuais da Educação (2006) pela UTAD

 

Colaboração desde 2012 com  o centro de formação de professores (ERASMUS+) sediada na Holanda, Quarter Mediation ( http://www.quartermediation.eu/).

 

APRESENTAÇÃO   

 

Resumo da comunicação

“Aulas de tapete” - criatividade no ensino da História.

 

Apresentação de metodologia para o ensino da História

Objetivos: Pretendemos com a nossa apresentação mostrar como procuramos enquadrar um conjunto de metodologias conhecidas dos docentes de História, numa prática a que os nossos alunos deram o nome de “aulas de tapete” e que tem sido desenvolvida no Agrupamento, desde há 10 anos, na disciplina de História e Geografia de Portugal.

Resumo: A utilização diversificada de metodologias torna mais inclusivo o ensino da História uma vez que cada aluno tem um modo diferente de aprender. Ao utilizar os 5 sentidos (Montessori),a” História ao vivo”, a aprendizagem pela descoberta, o role-play, a aprendizagem pela arte (Escola Waldorf), a criação de um espaço “indutor” de aprendizagem (Suggestopedie), a utilização dos métodos de facilitação (Facilitation- Conselho da Europa), possibilita ao aluno o desenvolvimento da criatividade e a construção do momento histórico  apartir do que é vivido e partilhado. A interdisciplinaridade e trabalho colaborativo na preparação e montagem da “aula de tapete” é fundamental.

A sala de aula apresenta-se completamente transformada num espaço criado com cenários e objectos onde decorre o momento histórico. Não há mesas nem cadeiras, os alunos sentam-se em tapetes e almofadas. Dependendo do tema o desafio apresentado é diferente. A matéria é revista e consolidada pela acção das personagens criadas, onde o professor é o “facilitador” das aprendizagens e o fio condutor da dinâmica. Utilizamos a manipulação de objectos, audição de música, experimentação, prova de alimentos e finalmente a concretização de  ateliers e actividades de avaliação.

Modelo da apresentação:

I- componente teórica: explicitação das metodologias utilizadas, apresentação de exemplos práticos.

II-componente prática/Workshop:

1- apresentação de guião a fornecer aos docentes participantes;

 

2-proposta de role-play e sua apresentação por parte dos participantes.